Slide background

Durante a gestação e a amamentação a mãe passa por alterações hormonais importantes, mudanças físicas e emocionais que podem provocar alteração de sensibilidade e insegurança. Angústia e ansiedade acerca da capacidade de cuidar da criança, dúvidas e expectativas com relação à amamentação, mudança no relacionamento com o parceiro e cansaço são alguns dos desafios da maternidade.

Enquanto algumas mulheres lidam de forma tranquila com estas alterações, outras têm grandes dificuldades de adaptação. A tristeza puerperal, também chamada de blues, atinge cerca de 70% das mulheres nesta fase da vida e se manifesta através de labilidade emocional, irritabilidade, alterações bruscas de humor e ansiedade.

Sintomas mais intensos ocorrem na depressão pós parto e incluem: perda de apetite, insegurança com relação à maternidade, tendência ao isolamento, perda de libido e idéias obsessivas. Psicose puerperal é a forma mais grave do transtorno e a mais rara, muitas vezes requer internação, uma vez que põe em risco vidas de mãe e bebê.

Deixar a mulher expressar seus sentimentos é fundamental. Atenção e carinho por parte dos familiares é tão importante quanto o acompanhamento da mulher por uma equipe multidisciplinar.